Odori

topo

A cidade de Salvador conheceu o primeiro Bon Odori em agosto de 1992, organizado pela Associação Nippo-Brasileira de Salvador. Hoje conhecido como Festival da Cultura Japonesa de Salvador, o evento chega à sua 25ª edição como parte do Calendário Oficial de Eventos de Salvador. 

odorilant

BON ODORI – FESTIVIDADE DE AGRADECIMENTO AOS ANTEPASSADOS 

Realizado durante o verão japonês, o Bon Odori é uma das festividades mais importantes do arquipélago. Durante a dança, é feita uma reverência aos antepassados, nos aspectos espiritual (Bon) e festivo (Odori), para representar a paz entre a terra e o céu. O sentimento de gratidão pela boa colheita e a vontade de entreter os espíritos ancestrais são expressados em cada gesto, com movimentos delicados e simples. Todos têm significado simbólico: os atos de colher, ceifar, semear, agradecer e festejar.

O público baiano, tão acostumado às diferentes raízes culturais, acolheu de forma muito carinhosa este evento, que consolida a cultura dos povos pela paz e amizade.

odorilan2t

Em comemoração aos 25 anos do evento, o tema escolhido para o X Festival da Cultura Japonesa de Salvador é ODORI, a dança tradicional japonesa.

As danças tradicionais são uns dos elementos mais ricos da cultura japonesa. Na antiguidade, estavam ligadas às manifestações religiosas chamadas Kagura (a "música dos deuses" ou o "lugar dos deuses"). As danças entretetiam as divindades com doutrinas e rituais próprios, testemunhados apenas pelos dançarinos.

As danças mais conhecidas são kabuki buyokamigata-mairyukyu buyoshishi-mai e sarugaku. Elas são composta por vários estilos, todos inspirados em um dos dois tipos de movimentos essenciais da cultura do país: o MAI (marcado por uma conduta cerimonial, introspectiva e tranquila) e o ODORI (folclórico, exuberante e extrovertido). Embora a distinção entre os dois termos não seja precisa, ambos estão firmemente arraigados em eventos tradicionais¹.

No período Edo, nas ruas e praças públicas, passaram a ser realizadas danças em massa, como o Bon Odori (que reverencia a memória dos antepassados) e o Awa Odori (estilo de dança da província de Tokushima, representando o carnaval japonês).

Hoje, a dança tradicional performativa do Japão é chamada de Nihon Buyou. É uma arte apresentada especialmente em palcos, para entreter o público, unindo movimentos Odori e Mai. Assim, surge um rico vocabulário expressivo que narra as histórias tradicionais e valores japoneses a partir da dança.

O Festival terá em sua programação momentos de rara beleza, com diversos grupos de ODORI:

SATORU SAITO

SAITO SATORU RYUBU DOJO

A refinada dança de Okinawa, com sua complexidade e elegância, surgiu para homenagear os Deuses e reis, além de entreter as delegações diplomáticas chinesas que constantemente visitavam o reino de Ryukyu.

Em Salvador, ela será apresentada pelo dançarino Satoru Saito, com trajes vistosos, enfeites e movimentos expressivos. Formado em Okinawa, Saito e seus alunos trazem a harmonia de um povo alegre em danças folclóricas tradicionais e modernas, representado a beleza e a espiritualidade.

rukyu2

RYUKYU BUYOU – TAKARYU HANA NO KAI 

O estilo de dança tradicional de Okinawa, Takaryu Hana no Kai, foi fundado pela professora Takako Sato, reconhecida como patrimônio cultural intangível de Ryukyu Buyo. A dança retrata a época em que a ilha ao sul do Japão era um reino independente do restante do Japão. O estilo chegou ao Brasil pela professora Yoriko Shimabukuro, sendo atualmente liderado pelas professoras Juliana Izu e Sueko Tengan. A academia de dança Takaryu Hana no Kai do Brasil tem como propósito divulgar e preservar a cultura de Okinawa através da dança, que revela a graciosidade da cultura de Okinawana em detalhes coloridos das vestimentas e na harmonia da música tradicional.

HANAYAGUI KINRYU KAI

HANAYAGUI KINRYU KAI (ESCOLA DE BAILADO KINRYU HANAYAGUI)

A dança japonesa tradicional conhecida como ODORI tem várias escolas de estilos diferentes. A escola HANAYAGI foi fundada no Japão por Jusuke Hanayagi, em 1849. Atualmente na sua quarta geração, a instituição se expande não só no Japão, mas em vários países do mundo, mesmo no Brasil. Iniciada com a vinda da Profª Kinryu Hanayagi para São Paulo, a escola completa 64 anos de existência no país. Entre suas propostas, está o ensino e divulgação tanto do bailado clássico como de coreografias adaptadas aos tempos modernos.

tottori shanshan

TOTTORI KASSA ODORI – Shan Shan

A dança Kassa Odori foi criada para celebrar o fim da estiagem. Com o passar do tempo, passou a significar também o desejo de boa colheita. Conta-se que a dança é uma homenagem a um rapaz que dançou  por três dias e três noites, pedindo o milagre da chuva. Segundo a lenda, o jovem faleceu de exaustão e, desde então, os moradores de província passaram a repetir a dança todos os anos, na época de finados. A apresentação será feita pelas voluntárias da Associação Cultural Tottori Kenjin do Brasil (São Paulo).

fonte bibliográfica:
¹   Aliança Cultural Japonesa